Sanofi

Exercícios para melhorar a memória

O cérebro humano precisa de estímulos para se desenvolver e se manter em pleno funcionamento ao longo da vida. Exercícios para memória são, inclusive, uma das formas mais interessantes de estimulá-lo [1]. Essas atividades ajudam não só a melhorar a memória, mas também colaboram para o funcionamento mais apurado de outras funções cognitivas, como a concentração. Separamos alguns exemplos para você começar já a trabalhar seu cérebro. Confira!

Ter o hábito de montar quebra-cabeças pode deixar sua memória mais afiada

Palavras cruzadas

Você já comprou aquelas revistas de palavras cruzadas? Hoje, existem vários modelos disponíveis na internet de forma gratuita. Essas atividades, segundo um estudo feito nos Estados Unidos em 2015 com mais de 4 mil adultos, são uma boa opção de passatempo, já que estimulam a memória e são ótimos exercícios para melhorar a concentração. [2]

Quebra-cabeça

Apesar de ser visto como brincadeira de criança por muitas pessoas, montar um quebra-cabeça faz bem para todas as idades. Esse exercício trabalha a memória visuoespacial e é um fator importante na proteção do cérebro contra o declínio visto na terceira idade das funções cognitivas, entre as quais estão incluídas a memória e a concentração. [3]

Mnemônica

Mnemônica é um nome difícil para um exercício muito comum, especialmente entre as crianças e adolescentes. Nada mais é que uma técnica para ajudar o cérebro a memorizar fórmulas, regras, símbolos e frases. Você já deve ter usado, por exemplo, os ossos das mãos para guardar na memória quando um mês tem 30 ou 31 dias. Esses tipos de exercícios para memória vêm sendo estudados desde a década de 1960 e parecem ajudar a reforçar essa função cognitiva. [4]

Meditação

Meditar faz muito bem para diversos aspectos da saúde física e mental humana. Você só precisa encontrar um espaço com tranquilidade para descobrir as técnicas que mais te agradam. Além de contribuir para uma melhora da memória, a meditação também reduz o estresse, a sensação de dor e ajuda a aumentar a massa cinzenta do cérebro, área extremamente relevante não apenas para a memória, mas também para o controle muscular, visão, audição, fala e emoções. [5]

Exercícios físicos

Pode até parecer que não existe uma relação entre a prática de exercícios físicos e a memória, mas de acordo com alguns estudos, fazer uma caminhada ou correr em um parque podem, sim, melhorar a atuação cognitiva do cérebro, desde que praticados com regularidade. Pesquisadores chegaram à conclusão de que a pressão alta está associada a um maior risco de demência, caracterizada pela perda de memória e de discernimento. Uma das maneiras de evitar essa condição é se dedicar aos exercícios físicos ao longo da vida para manter a pressão arterial em níveis adequados. [6]

 

Referências Consultadas:

[1] Ten-Year Effects of the ACTIVE Cognitive Training Trial on Cognition and Everyday Functioning in Older Adults | Dr. George W. Rebok, Dr. Karlene Ball, Dr. Lin T. Guey, Dr. Richard N. Jones, Dr. Hae-Young Kim, Dr. Jonathan W. King, Dr. Michael Marsiske, Dr. John N. Morris, Dr. Sharon L. Tennstedt, Dr. Frederick W. Unverzagt, Dr. Sherry L. Willis | Journal of the American Geriatrics Society | Janeiro de 2014
[2] Enhancing Cognitive Abilities with Comprehensive Training: A Large, Online, Randomized, Active-Controlled Trial | Hardy JL, Nelson RA, Thomason ME, Sternberg DA, Katovich K, Farzin F, Scanlon M | PLoS One | Setembro de 2015
[3] Jigsaw Puzzling Taps Multiple Cognitive Abilities and Is a Potential Protective Factor for Cognitive Aging | Patrick Fissler, Olivia Caroline Küster, Daria Laptinskaya, Laura Sophia Loy, Christine A. F. von Arnim, Iris-Tatjana Kolassa | Frontiers in Aging Neuroscience | Outubro de 2019
[4] An Evaluation of the Effectiveness of Mnemonic Devices as Aids to Study | Gerald R. Miller | 1967
[5] Meditation: Process and effects | Hari Sharma | Ayu Journal | Julho a setembro de 2015
[6] Association between systolic blood pressure and dementia in the Whitehall II cohort study: role of age, duration, and threshold used to define hypertension | Jessica G Abell,  Mika Kivimäki, Aline Dugravot, Adam G Tabak, Aurore Fayosse, Martin Shipley, Séverine Sabia, Archana Singh-Manoux | European Heart Journal | Junho de 2018

 

LINKS

1) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4055506/
2) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26333022
3) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6174231/
4) https://eric.ed.gov/?id=ED011088
5) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4895748/
6) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6122131/

CONTE SUA HISTÓRIA!

Preencha o formulário abaixo e envie para a equipe Pharmaton®.

Fale sobre você...

Ao enviar esta história dou consentimento para o seu conteúdo ser adaptado
e publicado no site de Pharmaton®.
*CAMPOS OBRIGATÓRIOS