Sanofi

Fadiga ou cansaço? Você sabe a diferença entre os dois?

Os termos fadiga e cansaço muitas vezes são colocados como sinônimos, já que ambos se referem à falta de energia e disposição. Porém, existe, na realidade, diferença entre os termos quanto ao significado. O cansaço é algo comum, cotidiano, que as pessoas sentem todos os dias. Não é nada impeditivo. A fadiga, por sua vez, afeta corpo e mente de maneira mais intensa e complexa, por vezes inviabilizando a execução de certas atividades.

Veja a seguir as características principais dos termos fadiga e cansaço

Fadiga pode estar relacionada a condições mentais, como a depressão

Estudos citam a fadiga como uma exaustão anormal consequente de atividades normais que muitas vezes está associada a diversas condições de saúde física e mental, funcionando como sintoma dessas condições. A falta de energia característica da fadiga é percebida em um percentual significativo de jovens [1].

Há, inclusive, uma relação direta entre fadiga e depressão, estabelecida na literatura científica [2]. Enquanto situações cotidianas, como o estresse, contribuem para a formação do cansaço, normal no dia a dia de todas as pessoas, a fadiga se associa a quadros mais complexos, como a depressão. Não é por acaso que o prejuízo físico e mental da fadiga é significativamente maior do que o do cansaço.  

Fatores de risco para manifestação de cansaço e fadiga

Tanto a fadiga quanto o cansaço podem se manifestar por causas variadas, inclusive pelo estilo de vida sedentário. Portanto, a prática regular de atividade física pode reduzir as chances de sofrer com os problemas ou, ao menos, minimizar seus efeitos negativos no corpo e na mente. Pesquisas indicam que os benefícios do exercício quanto à diminuição da fadiga e cansaço se aplicam tanto a indivíduos saudáveis quanto àqueles com alguma doença, como câncer, por exemplo [3].

Sono insuficiente e não restaurador e alimentação pobre em nutrientes e calorias também são fatores importantes para a manifestação de cansaço e fadiga. Um sono de qualidade implica na liberação de hormônios que regulam o metabolismo e os níveis de energia [4]. As calorias são igualmente necessárias para manter o nível energético alto, sendo que quanto mais velha é a pessoa, mais ela precisa de calorias para conseguir realizar suas funções fisiológicas sem ficar cansada ou fatigada [5].       

 

Referências Consultadas:

[1] The tired teen: A review of the assessment and management of the adolescent with sleepiness and fatigue | Sheri M Findlay | Paediatr Child Health. | Janeiro de 2008
[2] Fatigue as a Residual Symptom of Depression | Steven D. Targum; Maurizio Fava | Innov Clin Neurosci. | Outubro de 2011
[3] Exercise as an Intervention to Reduce Study-Related Fatigue among University Students: A Two-Arm Parallel Randomized Controlled Trial | de Vries JD; van Hooff ML; Geurts SA; Kompier MA | PLoS One. | Março de 2016
[4] About Sleep's Role in Memory | Björn Rasch; Jan Born | Physiol Rev. | Abril de 2013
[5] Bedside-to-Bench Conference: Research Agenda for Idiopathic Fatigue and Aging | Neil B. Alexander; George E. Taffet; Frances McFarland Horne; Basil A. Eldadah; Luigi Ferrucci; Susan Nayfield; Stephanie Studenski | J Am Geriatr Soc. | Agosto de 2015

 

LINKS

1) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2528817/
2) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3225130/
3) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27031610
4) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3768102/
5) https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4540791/

CONTE SUA HISTÓRIA!

Preencha o formulário abaixo e envie para a equipe Pharmaton®.

Fale sobre você...

Ao enviar esta história dou consentimento para o seu conteúdo ser adaptado
e publicado no site de Pharmaton®.
*CAMPOS OBRIGATÓRIOS