Sanofi
Comprar

O que causa a queda de cabelo em mulheres?

Entenda porque seu cabelo está caindo e como reduzir a perda

Em homens, a calvície pode começar ainda na puberdade, porém, torna-se mais intensa aproximadamente aos 40/50 anos1. Mas, e quando falamos sobre a queda de cabelo feminina? Sim, as mulheres também estão sujeitas a perda de cabelo e até calvície, que pode acontecer por diferentes motivos e em diferentes fases da vida.

Aliás, fios também têm “fases de vida”2, sendo:

  • crescimento (anágena)
  • degradação (catágena)
  • repouso (telógena): quando o folículo se prepara para o crescimento de um novo fio.

Por isso, a consulta com o tricologista é importante para diferenciar o fio que cai da raiz devido ao fim do ciclo capilar e acontece todos os dias da queda exacerbada.

Confira a lista abaixo e saiba quais os motivos da queda de cabelo em mulheres e como reduzi-lo!

1 - Falta de nutrientes

A alimentação é mais que saciar a fome. Os alimentos que ingerimos todos os dias cumprem um papel importante em nosso organismo: a nutrição. Por esse motivo, dietas muito restritivas podem atrapalhar essa absorção, portanto a variedade é fundamental para garantir a obtenção de diferentes vitaminas e minerais3.

Quando pensamos nas mulheres, que passam por diversas alterações hormonais ao longo da vida5, o fator nutricional é ainda mais importante para garantir o funcionamento correto do organismo. Sendo assim, quando há falta de nutrientes, o corpo pode responder de muitas maneiras, como por exemplo, a queda de cabelo em caso da anemia5 por falta de ferro.

Visando a suplementação de alguns nutrientes essenciais, o médico pode indicar Pharmaton Mulher. O suplemento vitamínico é fonte de minerais, como zinco6, que ajuda na manutenção dos cabelos. Além disso, o produto tem vitamina C, que atua como antioxidante que auxilia na proteção dos danos causados pelos radicais livres6.

2 - Alterações hormonais

Como mencionado acima, as mulheres passam por uma série de mudanças hormonais2 desde a infância até a fase adulta, e essa alterações, por sua vez, podem ter resultados visíveis, como a queda de cabelo.

Um exemplo é a própria calvície feminina, que é mais comum aos 40 anos, idade próxima à menopausa. Este período marcado é pela diminuição de um hormônio chamado estrogênio, que leva ao estado androgênico e, caso a mulher tenha tendência, a calvície pode aparecer8. Outra fase marcada pelas alterações hormonais é a gravidez, então, algumas mulheres podem notar a queda de cabelo neste período9.

3 - Predisposição genética

A alopecia é o nome técnico para calvície, mas vale frisar que nem toda queda é calvície ou vai se tornar uma. A alopecia pode ter diferentes graus e tipos, como androgenética, que é de ordem genética, ou seja, que passa de geração em geração. O problema começa com o afinamento dos fios, seguindo pelo enfraquecimento e a queda, deixando espaços sem fios no couro cabeludo8.

4 - Estresse

O estresse é capaz de afetar o organismo de diferentes formas e um dos sintomas da exacerbação pode ser a queda de cabelo. Neste caso, a alteração é na quantidade de fios que eliminamos diariamente, que são de 100 a 120 fios e passam a ser de 200 a 300 fios10.

Além das questões mencionadas acima, outras como: febre, infecções, doenças metabólicas e algumas cirurgias podem causar a queda de cabelo devido o estresse pelo qual o organismo passa, assim como pela perda de sangue10.

Referências:

  • 1 - Paulillo, M.P.; Talhati, F. ALOPECIA ANDROGENÉTICA MASCULINA E TRATAMENTOS ESTÉTICOS. Revista Diálogos Interdisciplinares 2018 vol. 7 n° 4 - ISSN 2317-3793. Disponível em: https://revistas.brazcubas.br/index.php/dialogos/article/view/555/643. Acesso em 24 de junho de 2020.
  • 2 - Pereira, J.M. Tricoses compulsivas. Anais Brasileiros de Dermatologia. vol.79 no.5 Rio de Janeiro Sept./Oct. 2004. https://doi.org/10.1590/S0365-05962004000500012
  • 3- Thiele, S.; Mensink, G.B.M; and Beitz, R. Determinants of diet quality. Public Health Nutrition, Vol. 7, Issue 1, February 2004 , pp. 29-37. DOI: https://doi.org/10.1079/PHN2003516
  • 4 - Moreira RCR, Lopes RLM. Sexualidade e gravidez: aspectos da vida da mulher - revisão da literatura. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3614/361454001021.pdf
  • 5 - Cançado, R.D.; Lobo, C.; Friedrich, J.R. Tratamento da anemia ferropriva com ferro por via oral. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. vol.32 supl.2 São Paulo June 2010. Epub June 11, 2010. https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000062
  • 6 - Produto Pharmaton Mulher. Sanofi. Disponível em: https://www.pharmaton.com.br/pharmaton-mulher. Acesso em 24 de junho de 2020.
  • 7 - C - Tramontino, Vanessa Silva; NUÑEZ, Juliana Maria Costa; TAKAHASHI, Jessica Mie Ferreira Koyama. Nutrição para idosos. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo, 2009 set-dez; 21(3): 258-67. Disponível em: http://publicacoes.unicid.edu.br/index.php/revistadaodontologia/article/view/465/359. Acesso em 24 de junho de 2020.
  • 8 - Júnior, F.T.B. Calvície feminina: classificação proposta. Revista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. 2006; 21(4): 196-202. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-464810. Acesso em 24 de junho de 2020.
  • 9 - Rodrigues, L.P.; Jorge, S.R.P. F. Deficiência de ferro na gestação, parto e puerpério. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. vol.32 supl.2 São Paulo June 2010. Epub June 07, 2010. https://doi.org/10.1590/S1516-84842010005000057
  • 10 - Sociedade Brasileira de Dermatologia. Eflúvio Telógeno. Disponível em: https://www.sbd.org.br/dermatologia/cabelo/doencas-e-problemas/efluvio-telogeno/56/. Acesso em 24 de junho de 2020.

Família Pharmaton